Conheça os 5 erros cometidos no fluxo de caixa e saiba como evitá-los

Conheça os 5 erros cometidos no fluxo de caixa e saiba como evitá-los

18/09/2015

O fluxo de caixa representa uma ferramenta de grande importância para que o gestor entenda como anda a saúde financeira de seu negócio. O recurso possibilita que se veja se a empresa tem prestado um momento positivo de lucros ou se o gestor precisa aperfeiçoar alguma área da empresa, a fim de melhorar o faturamento ou diminuir as despesas. Se o controle das finanças não for bem feito, será muito mais difícil ter boas decisões de investimento, contratação de mais mão de obra ou tomada de empréstimos, por exemplo. Saiba que os empreendedores que estão começando costumam cometer vários erros no fluxo de caixa, e isso é uma das razões do descontrole que pode prejudicar o primeiro ano de funcionamento da empresa , podendo até levá-la à falência. Que tal ficar por dentro dos erros comuns que são feitos neste recurso e aprender a não fazê-los?

Misturar as contas pessoais com as contas da empresa

Muitos empreendedores de primeira viagem cometem esse erro grave, pensando não haver grandes problemas nisso. Porém, quando o gestor paga as contas da empresa com seu dinheiro ou cobre suas dívidas pessoais com os recursos do caixa da empresa, ele está desestabilizando seu negócio. Gera-se um fluxo de caixa mais difícil de controlar, mesmo com a promessa de que vai devolver o dinheiro no mês seguinte. Não se pode fazer saques de forma arbitrária, mas se balizar pelo pró-labore ou pelo salário pré-determinado a receber.

Não atualizar o fluxo de caixa permanentemente

Se o gestor não acompanhar a ferramenta e fizer corretamente os lançamentos de entradas e saídas de recursos, de nada vai adiantar tê-la. É importante que o gestor se dedique a verificar os registros com assiduidade, e não apenas no fim do mês ou da quinzena. É preciso fazer uma contabilidade que seja condizente com as rotinas da empresa, segundo suas vendas e obrigações.

Contar com os recursos que ainda não estão no caixa

Uma das grandes ciladas do fluxo de caixa é quando o gestor faz a indicação na ferramenta de que os recursos entraram, mas eles ainda não aportaram na empresa. Isso lhe dá a inverídica impressão de que possui mais capital do que realmente tem no caixa. O melhor exemplo disso é quando se realiza uma venda a prazo e o lançamento é feito no valor de uma venda inteira. O apontamento correto, é claro, deve acompanhar as parcelas diferidas no tempo, no mesmo número de parcelas e valores os quais serão quitados pelo cliente. Os lançamentos devem ser precisos e realistas sempre!

Não indicar os lançamentos em categorias

Quando as contas das receitas e das despesas são decompostas em múltiplas categorias, o gestor se torna capaz de visualizar seu negócio com muito mais precisão. Se as suas despesas, por exemplo, se dividem em conta de luz, água, aluguel, salários, impostos e assim por diante, pode-se até ver onde é possível cortar custos. Assim, ele vai se organizar muito melhor e tomar as decisões de forma muito mais bem fundamentada.

Fazer previsões pouco realistas

Os lançamentos precisam ser realistas também para que o gestor não superestime suas previsões de recebimento. Se o gestor achar que vai ter lucros maiores do que realmente terá ao final do período, pode ver prejudicada sua estratégia de crescimento ou aplicação de recursos no futuro. Se você descobrir os problemas quando ainda são poucos ou pequenos, fica mais fácil para consertá-los. Você já cometeu ou vem cometendo algum desses erros na sua empresa? Agora que você já sabe os erros comuns em fluxo de caixa, poderá melhorar suas praticas de gestão. Deixe seu comentário compartilhando sua experiência.