Entenda as diferenças entre fluxo de caixa e demonstrativo financeiro

Entenda as diferenças entre fluxo de caixa e demonstrativo financeiro

22/06/2015

As finanças são parte essencial de qualquer negócio, afinal, não é possível para nenhuma empresa sobreviver sem ter lucro. E para que o capital flua da maneira correta, sem desperdício e ajudando nas previsões financeiras, é preciso ter métodos efetivos de análise e controle. Dois dos mais utilizados e eficientes métodos para isso são o fluxo de caixa e o demonstrativo financeiro. Mas será que você realmente os compreende a fundo e conhece suas diferenças? Se você ainda tem dúvida sobre essa questão, não deixe de ler o texto a seguir. Nele explicaremos ambos os métodos de maneira adequada, o que pode te ajudar a definir qual deles mais se encaixa nas demandas e necessidades do seu negócio. Confira:

Demonstrativo financeiro

Também chamada de demonstração do resultado financeiro, essa análise ajuda a demonstrar as características que implicam na sustentabilidade financeira do negócio. Em outras palavras, ela identifica os processos e sua lucratividade, bem como os custos e detalhes para que a RECEITA seja compatível com a demanda de um determinado período. Ele também fornece informações em relação os preços cobrados, cruzando os dados para saber se eles estão adequados e da suficiência ou não do lucro vigente em relação ao total que foi investido (a famosa métrica chamada de ROI, retorno sobre o INVESTIMENTO).

Fluxo de caixa

O fluxo de caixa demonstra a origem e a aplicação do capital recebido e dispensado durante o período que se deseja analisar. Basicamente, ele compara o saldo de abertura com o saldo de encerramento. Sua grande particularidade é demonstrar a saída de dinheiro em relação às atividades operacionais como um todo, considerando INVESTIMENTOS e financiamentos. Falando em linhas gerais, o fluxo da caixa é uma espécie de lançamento conjunto em planilhas das entradas e saídas de dinheiro.

Principais diferenças

Uma das grandes diferenças que devemos considerar é que o fluxo de caixa leva em conta apenas as entradas e saídas de caixa, enquanto o demonstrativo financeiro abrange as depreciações e amortizações antes de apontar o resultado final. Isso é realizado calculando a reincorporarão dos gastos nessas operações do negócio, coisa que o fluxo de caixa não mostra especificamente. O demonstrativo é primordial para demonstrar a real viabilidade da empresa e indicar o número de produtos ou serviços que precisam ser negociados para cobrir os gastos e tornar o empreendimento viável. Já o fluxo de caixa é mais importante no uso diário. Ele é, ao mesmo tempo, o valor que aparece no seu saldo bancário e a previsão de quanto entra e sai no período a ser considerado. Ele é usado o tempo todo pela equipe financeira para um melhor controle das contas a pagar e a receber e também para avaliar o quanto de capital é necessário em giro para honrar as despesas futuras. Como podemos ver, o objetivo de ambos é fornecer informações adequadas para que os administradores e líderes tomem as decisões adequadas para alocar os recursos e INVESTIR de maneira sábia. Cada um dos dois tem aplicações exclusivas e o ideal é ter ambos atualizados e bem feitos pela sua equipe financeira, de forma a viabilizar um controle ainda mais preciso de seu capital. Portanto, em um período de mercado altamente competitivo, tanto o fluxo de caixa quanto o demonstrativo financeiro terão seu papel para que sua empresa tenha o sucesso que você deseja! E você, qual dos dois métodos utiliza em seu negócio? Conhece mais vantagens e desvantagens dessas estratégias? Compartilhe conosco nos comentários!