Fique por dentro dos desafios do segmento de material de construção

Fique por dentro dos desafios do segmento de material de construção

05/07/2019

De acordo com números do Sebrae, as lojas de material de construção ocupam o terceiro lugar no mercado de varejo se considerado o número total de empreendimentos: são cerca de 270 mil negócios de pequeno e médio porte em todo o país.

A esse panorama altamente competitivo soma-se ainda uma forte crise no setor de construção civil, que sofreu uma expansão devido a elevação de renda e facilidade de crédito habitacional na última década, mas voltou a cair desde a desaceleração da economia em 2014 e ainda não se recuperou.

Diante desse cenário, lojistas do segmento de material de construção que desejam garantir uma boa lucratividade precisam manter sua participação atual no mercado e se preparar para um novo ciclo de desenvolvimento com incremento em gestão, eficiência de custos  e foco em produtos e clientes de boa rentabilidade.

Para tanto, é preciso superar alguns desafios que podem fazer toda a diferença no desempenho comercial e financeiro do negócio. Saiba quais são eles!

4 desafios do segmento de material de construção que você precisa superar

1. Controle de estoque

Um dos maiores desafios enfrentados por lojistas do segmento de material de construção é, sem dúvidas, o controle de estoque.

Quando realizado de maneira ineficiente, alguns produtos ficam sem o giro adequado, provocando prejuízos ao negócio, enquanto outros são adquiridos em quantidade insuficiente para atender a demanda. 

Dessa maneira, o lojista perde vendas — e não raramente, clientes em definitivo para a concorrência — em um cenário em que qualquer diminuição no desempenho comercial representa uma ameaça séria ao sucesso do empreendimento.

Diante dessa realidade, buscar alternativas eficientes de gestão de estoque, longe de ser um gasto, é um investimento necessário para lojistas que desejam manter a competitividade em alta.

Utilizando softwares de gestão integrada (ERP), você pode identificar facilmente o momento mais adequado para realizar a reposição de produtos estratégicos para o seu negócio, controlar preços e prazos de entrega e compreender melhor a ocasião ideal para realizar promoções ou queimas de estoque.

Assim, o seu estoque fica totalmente otimizado, facilitando tanto o inventário como o tratamento adequado de informações sobre devoluções, trocas, avarias e desperdícios de material de construção.

2. Planejamento financeiro

Em um mercado em que as margens de lucro são bastante apertadas como o de material de construção, fazer um planejamento financeiro rigoroso é fundamental para empreendedores que desejam garantir um bom posicionamento de mercado para o seu negócio.

Mais uma vez, o software de gestão integrada aparece como recurso importante para garantir a identificação adequada de todos os custos, investimentos e do fluxo de caixa do negócio, informações essenciais para um planejamento financeiro eficaz.

Como esse tipo de programa, você elimina processos manuais, tradicionalmente sujeitos a erros que podem comprometer toda a eficácia da análise, e dinamiza o fluxo de trabalho, liberando a equipe de colaboradores para tarefas mais estratégicas ou ligadas ao core business do negócio.

Com um bom software de gestão empresaria, o lojista pode, por exemplo, controlar o orçamento de maneira eficaz, estabelecendo comparativos real time entre o que foi planejado e o realizado. A partir disso, realizar a gestão de contas a pagar, registrar tanto pagamentos parcelados como custos fixos com total integração à área contábil, se torna mais ágil.

Além disso, com os módulos de relatórios, é possível realizar uma análise mais aprofundada e assertiva da situação financeira da loja de material de construção. Isso facilita a tomada de decisões estratégicas com base em dados reais e não em impressões ou sensações sobre o mercado.

Isso porque esse tipo de software permite que o lojista identifique pontos de melhoria nos processos e transações realizadas. Ele irá, portanto, encontrar melhores oportunidades para o direcionamento de recursos ou mesmo os locais mais adequados para reduzir custos.

3. Administração de contas a receber

Outro ponto nevrálgico no segmento de material de construção é a gestão de contas a receber. Um controle ineficiente das cobranças provoca prejuízos que, em larga escala, podem afetar até mesmo a continuidade do negócio.

Utilizar um sistema eficiente de controle nesse setor é fundamental para garantir a correta gestão das carteiras de cobranças e crédito dos clientes e, consequentemente, a saúde financeira do empreendimento.

Com um sistema de gestão empresarial integrada, é possível controlar as contas a receber por cliente, por tipo de cobrança, por data de vencimento e até mesmo por natureza de receita. Dessa maneira, é possível estabelecer um relacionamento mais assertivo com os consumidores inadimplentes e otimizar o planejamento financeiro da empresa.

4. Gestão tributária

Lojistas do setor de material de construção também precisam lidar constantemente com desafios ligados à gestão tributária do negócio.

Não é incomum que empreendedores — ou seus colaboradores — percam um tempo que poderia estar sendo empregado no desenvolvimento de tarefas mais estratégicas para a realização de atividades que poderiam ser totalmente automatizadas, como a emissão de notas fiscais a cada venda realizada.

Ao automatizar esse tipo de procedimento, o lojista dinamiza o fluxo de trabalho e diminui as chances de erros, garantindo uma gestão tributária mais eficiente e com menores possibilidades de multas que podem comprometer a eficiência financeira da loja de material de construção.

5. Logística de entrega

O segmento de material de construção é um dos que mais sofrem com uma logística de entrega deficiente. Isso porque esse tipo de negócio lida com um tipo de produto (cimento, acabamentos, areia, louças, metais etc), cujo volume e peso exigem a entrega na construção. 

Por isso, contar com um sistema de gestão que ajude a garantir uma logística adequada, otimizando a formação de rotas e a quantidade de entregas no menor número de viagens possível é fundamental para assegurar a rentabilidade e evitar gastos desnecessários com fretes que podem impactar os custos do empreendimento.

Como você pode ver, o segmento de material de construção é altamente competitivo e vem enfrentando uma fase de crise já há alguns anos. Portanto, lojistas que desejam garantir uma boa lucratividade nesse mercado precisam lançar mão de todos os recursos disponíveis para dinamizar processos e implantar uma gestão eficiente, que diminua custos e maximize resultados.

Se você quer fazer mais pela performance da sua loja de material de construção, conheça o software de gestão integrada da ATS! Somos especialistas em pequenas e médias empresas e temos a solução ideal para o seu negócio!