Auditoria interna: de vilã à aliada

Auditoria interna: de vilã à aliada

08/04/2015

Processos de auditoria interna já tiveram uma conotação muito negativa no meio empresarial. A auditoria era vista como uma entidade dedicada apenas à inspeção, as vezes até sob uma perspectiva de polícia, já que não tem um caráter de conselho e visa proteger e regular o funcionamento da organização. O fato é que no mundo de hoje toda empresa deve que seguir algumas regras que orientem na execução razoável do orçamento ou mantenham a produção de acordo com requisitos específicos. A falta de planejamento e prevenção é uma prática comum a muitas empresas, tanto internamente, como nas ações externas. É de vital importância, então, mudar essa conduta, formando uma nova visão da empresa, aliando a auditoria como um componente do sistema responsável pela proteção do bom funcionamento da empresa. E para entender ainda mais sobre os benefícios dessa aliança, bem como outros proveitos que a auditoria interna pode trazer, continue acompanhando nosso post!

Redução de riscos

O gerenciamento de riscos ou gestão de riscos é uma abordagem estruturada e coordenada dentro da administração da empresa que visa identificar, quantificar, responder e monitorar as consequências de potenciais eventos. Implementado pela administração, o gerenciamento de riscos é avaliado pelos auditores internos em relação a sua eficácia e eficiência. O gerenciamento de riscos fornece uma abordagem ampla que afeta a criação ou a preservação do valor da organização. Esse gerenciamento é definido como um processo, efetuado pelo conselho de administração, gestão e outro setor de uma entidade designado a identificar possíveis eventualidades que possam afetar a empresa, averiguando se tal se encontra na gestão de riscos em níveis dentro do aceitável, fornecendo assim maior segurança e previsibilidade quanto a realização dos objetivos da empresa.

Trabalho em equipe

O melhor uso das habilidades e experiências para uma avaliação mais eficaz de controle interno, bem como a investigação de casos especiais, exige a execução do trabalho em equipe como forma de melhorar procedimentos, apresentação de propostas, análise e comunicação mais precisa e sintonizada. Dessa forma, o auditor interno é peça fundamental para a harmonia de processos dentro da empresa. É da auditoria que sairá a segurança de um passo a ser dado.

Conhecimentos e Competências

É necessário que os auditores possuam ferramentas de gestão do conhecimento. Competências como estatística, controle estatístico de processo (SPC), benchmarking, pensamento sistêmico e tantos outros, têm como objetivo identificar as melhores práticas e procedimentos para fins de análise e posterior implementação, bem como é muito interessante para efeitos de adaptação de métodos ou procedimentos aplicados por outras auditorias.

A melhoria contínua no processo de auditoria

A auditoria não pode deixar de realizar todos os dias as mais precisas análises de qualidade, de custos, produtividade e prazos. Portanto, auditorias são realizadas com a melhor utilização dos recursos, especialmente considerando que as atividades de auditoria interna não têm valor acrescentado para o cliente externo. Isso requer o uso dos recursos da forma mais eficiente possível, melhorando de forma contínua os níveis de desempenho. Os controles devem se concentrar em questões ou elementos significativos, visando sempre o impacto crescente sobre a organização. Definitivamente constatamos que a prática de auditoria interna é um quesito de segurança a mais, resguardando sua empresa e seu cliente, evitando transtornos e até mesmo a perda de lucros. Agora que você conhece um pouco mais sobre a auditoria, deixe seu comentário na página contando o que você achou desse recurso administrativo e seus benefícios. Participe da conversa!